história Lach - Exame laboratoriais
Lach




F - G - H - I - J

FAN - FATOR ANTINUCLEAR

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas. Para lactentes, coletar nos intervalos das mamadas.

FXA FATOR ANTI-XA ATIVIDADE

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas.

FATOR II, DOSAGEM

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas.

FATOR INTRÍNSECO ANTICORPOS

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas.

FATOR IX, DOSAGEM

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas.

FATOR REUMATÓIDE

Instruções: Jejum não obrigatório.

FATOR V, DOSAGEM

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas.

FATOR V DE LEIDEN, ESTUDO MOLECULAR

Instruções: Jejum não obrigatório.

FATOR VII, DOSAGEM

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas.

FATOR VIII, DOSAGEM

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas.

FATOR VIII - PÓS-DDAVP

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas.

FATOR X, DOSAGEM

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas.

FATOR XI, DOSAGEM

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas.

FATOR XII, DOSAGEM

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas.

FATOR XIII, DOSAGEM

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas. Evitar alimentos gordurosos no dia anterior e no dia da coleta.

FEBRE AMARELA IGG ANTICORPOS, PESQUISA

Instruções: Jejum não obrigatório.

FEBRE AMARELA IGM ANTICORPOS, PESQUISA

Instruções: Jejum não obrigatório.

FEBRE TIFÓIDE (SALMONELLA TYPHI, SALMONELLA PARATYPHI) ANTICORPOS

Instruções: Jejum não obrigatório.

FENILALANINA, PESQUISA

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas.

FENITOÍNA, DOSAGEM

Instruções: Coletar após 4 horas da ingestão de medicamento ou conforme critério médico.

FENOBARBITAL, DOSAGEM

Instruções: Coletar após 4 horas da ingestão de medicamento ou conforme critério médico.

FERRITINA, DOSAGEM

Instruções: Jejum não obrigatório.

FERRO (URINA)

Instruções: Utilizar frasco estéril. Retirar o frasco no laboratório ou comprar na farmácia. Preferencialmente pela manhã, ao acordar, realizar a assepsia do local com sabonete neutro, desprezar o primeiro jato e coletar a urina em seguida.

FERRO, DOSAGEM

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas.

FEZES - PARASITOLÓGICO

Instruções: Coletar as fezes sem a utilização de laxantes.
Manter a amostra refrigerada até a chegada ao laboratório. Obs: Coletar a amostra em ambiente seco e transferir para o frasco fornecido.

FIBRINOGÊNIO, DOSAGEM

Instruções: Recomendado jejum de 4 horas.

FIBROSE CÍSTICA, MUTAÇÃO DELTA F(508) - CFTR, PESQUISA MOLECULAR

Instruções: Jejum não obrigatório.

FIBROSE CÍSTICA, SEQUENCIAMENTO COMPLETO

Instruções: Jejum não obrigatório.

FOSFATASE ÁCIDA, DOSAGEM

Instruções: Jejum não obrigatório.

FOSFATASE ÁCIDA PROSTÁTICA, DOSAGEM

Instruções: Jejum não obrigatório.

FOSFATASE ALCALINA FRAÇÃO ÓSSEA, DOSAGEM

Instruções: Jejum não obrigatório.

FOSFATASE ALCALINA, DOSAGEM

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas.

FOSFATASE ALCALINA, ISOENZIMAS

Instruções: Recomendado jejum de 4 horas.

FOSFATIDILETANOLAMINA IGA, IGG E IGM ANTICORPOS

Instruções: Jejum não obrigatório.

FOSFATIDILGLICEROL IGA, IGG E IGM ANTICORPOS

Instruções: Jejum não obrigatório.

FOSFATIDILSERINA IGA, IGG E IGM ANTICORPOS

Instruções: Jejum não obrigatório.

FÓSFORO (P), DOSAGEM

Instruções: Jejum não obrigatório.

FÓSFORO (URINA DE 24 HORAS)

Instruções: Coletar toda urina, a partir da primeira da manhã, durante 24 horas; Não fazer esforço físico durante o período de coleta; Manter rotina diária normalmente; Não aumentar o consumo diário de líquidos, exceto sob orientação médica.

FÓSFORO (URINA)

Instruções: Utilizar frasco estéril. Retirar o frasco no laboratório ou comprar na farmácia. Preferencialmente pela manhã, ao acordar, realizar a assepsia do local com sabonete neutro, desprezar o primeiro jato e coletar a urina em seguida.

FRAGMENTAÇÃO DO DNA ESPERMÁTICO

Instruções: Coletar somente no laboratório. Coletar em frasco estéril (o mesmo utilizado para coleta de urina). Necessário agendamento. Importante: Necessário 2 a 7 dias de jejum sexual, a critério médico.
Como coletar:
1) Antes da coleta, urinar e higienizar as mãos e o pênis usando água e sabão, distendendo todo o prepúcio.
2) Enxaguar abundantemente com água e secar o pênis cuidadosamente com toalha limpa.
3) O paciente deverá urinar imediatamente antes da coleta do esperma.
4) A forma de coleta do material é por masturbação, sem que haja perda do material.
5) Coletar o material diretamente no frasco estéril.
6) Não coletar em preservativos, não usar lubrificantes (inclusive saliva) e não coletar através de coito interrompido (relação sexual interrompida)

FRUTOSAMINA, DOSAGEM

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas.

FSH - HORMÔNIO FOLICULO ESTIMULANTE, DOSAGEM

Instruções: Jejum não obrigatório.

FTA ABS IGG ANTICORPOS

Instruções: Jejum não obrigatório.

FTA ABS IGM ANTICORPOS

Instruções: Jejum não obrigatório.

FTA ABS TITULAÇÃO

Instruções: Jejum não obrigatório.

FUNGOS, PESQUISA

Instruções: Material coletado em frasco estéril.

FvWAg - ANTÍGENO DE VON WILLEBRAND

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas.

FvWAg - ANTÍGENO DE VON WILLEBRAND (PÓS-INFUSÃO COM DDAVP)

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas.

GAD-AB-ANTIDESCARBOXILASE DO ÁCIDO

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas.

GAMA GT, DOSAGEM

Instruções: Jejum não obrigatório.

GANGLIOSÍDEOS IGG ANTICORPOS

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas.

GANGLIOSÍDEOS IGM ANTICORPOS

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas.

GASOMETRIA ARTERIAL

Instruções: Jejum não obrigatório. Necessário agendamento.

GASOMETRIA VENOSA

Instruções: Jejum não obrigatório. Necessário agendamento.

GASTRINA, DOSAGEM

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas.


Informações técnicas: A dosagem destes hormônios descritos abaixo é frequentemente utilizada para pacientes em tratamento de perda de peso, cirurgia bariátrica e/ou uso de outros recursos mecânicos para estímulo de saciedade e restrição calórica, a fim de auxiliar no tratamento. a) A Grelina, também conhecida como o "hormônio da fome", é um hormônio peptídeo produzido principalmente pelas células épsilon do estômago e do pâncreas, quando o estômago está vazio, e atuam no hipotálamo lateral e no núcleo arqueado, gerando a sensação de fome. b) Gastrina é um hormônio peptídeo de cadeia linear,, com 17 aminoácidos liberados por células endócrinas do trato gastrointestinal, que estimula a secreção de ácido clorídrico (parte do suco gástrico) e também a motilidade do estômago.

GBS - STREPTOCOCUS GRUPO B, PRÉ-PARTO

Instruções: Swab vaginal, swab retal, swab perianal. Retirar o swab com meio no laboratório para que o médico possa realizar a coleta ou entregar o swab já coletado pelo médico no laboratório.

GENOTIPAGEM KIR

Instruções: Jejum não obrigatório.

GERMÂNIO, PESQUISA

Instruções: Jejum não obrigatório.

GI EFFECTS, PAINEL FUNCIONAL FECAL

Instruções: Preparação do paciente
- Evite a utilização de enzimas digestivas, antiácidos e aspirina durante 2 dias antes da coleta, a menos que seja indicado por seu médico. - Finalize o tratamento com antifúngico ou antibiótico e espere 3 dias antes da coleta. - Nunca interrompa a utilização de medicamentos sem consultar o seu médico. Coletar, em frasco fornecido pelo laboratório. Preencher todo o frasco com o conteúdo.


Informações técnicas: o novo Perfil GI Effects utiliza amostras de fezes, baseado nas técnicas de “cultura e molecular”. Com essa tecnologia, podemos identificar um número ilimitado de parasitas com excelente precisão, pois é o que chamamos de “padrão ouro” para determinada avaliação (parasitas), enquanto a técnica de PCR fornece uma avaliação ampla de bactérias anaeróbicas na microflora intestinal. Ajuda a diferenciar e discriminar ativo de inativo para doenças de Crohn, colites ulcerativas e infecções, pois analisa também o marcador de CALPROTECTINA, BD (Inflammatory Bowel Disease ou Doença Intestinal Inflamatória) e proteína Eosinophil (EPX).

GIARDIA ANTÍGENO FECAL (FEZES)

Instruções: Solicitar frasco no laboratório. Coletar aproximadamente 1 Coletar de chá de amostra sem contato com água. Não recomendamos o uso de laxante para obtenção da amostra.


Informações técnicas: Sugestão: buscar no menu de testes - Pesquisa imunológica e/ou por PCR de antígenos fecais, como Giárdia, Entamoeba, Rotavírus e Clostridium difficile multirresistente. O diagnóstico diferencial do agente causador possibilita tratamentos direcionados e interrupção do desconforto do paciente no menor tempo possível. A análise imunológica e por PCR garante maior precisão do que a técnica utilizada comumente no exame parasitológico, além de propiciar o diagnóstico mais rápido.

GILBERT, SÍNDROME

Instruções: Jejum não obrigatório. Solicita-se:
- Informação clínica do paciente. - Cópia da historia clínica familiar (se aplicável). - Enviar consentimento e questionário específicos.

GLIADINA IGA ANTICORPOS

Instruções: Jejum não obrigatório.

GLIADINA IGG ANTICORPOS

Instruções: Jejum não obrigatório.

GLIADINA IGM ANTICORPOS

Instruções: Jejum não obrigatório.

GLICEMIA MÉDIA ESTIMADA

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas.

GLICOSE, DOSAGEM

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas.

GLICOSE-6-FOSFATO DEHIDROGENASE (G6PD)

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas.

GLIFOSATO, PESQUISA

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas.

GLOBULINAS, DOSAGEM

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas.

GLP-1 (7-36) AMIDA, DOSAGEM

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas.

GLUCAGON, DOSAGEM

Instruções: Somente o médico pode aplicar a medicação (Glucagon). O paciente deve chegar no laboratório, após ter recebido a medicação, para fazer a coleta.

GLUTATION PEROXIDASE

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas.

GLUTATION REDUTASE

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas.

GORDURA NAS FEZES

Instruções: Solicitar frasco no laboratório. Coletar aproximadamente 1 colher de chá de amostra sem contato com água. Não recomendamos o uso de laxante para obtenção da amostra.

GRELINA, DOSAGEM

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas, ou a critério médico.


Informações técnicas: A dosagem destes hormônios descritos abaixo é frequentemente utilizada para pacientes em tratamento de perda de peso, cirurgia bariátrica e/ou uso de outros recursos mecânicos para estímulo de saciedade e restrição calórica, a fim de auxiliar no tratamento.
a) A Grelina, também conhecida como o "hormônio da fome", é um hormônio peptídeo produzido principalmente pelas células épsilon do estômago e do pâncreas, quando o estômago está vazio, e atuam no hipotálamo lateral e no núcleo arqueado, gerando a sensação de fome.
b) Gastrina é um hormônio peptídeo de cadeia linear,, com 17 aminoácidos liberados por células endócrinas do trato gastrointestinal, que estimula a secreção de ácido clorídrico (parte do suco gástrico) e também a motilidade do estômago.

GRELINA PÓS-PRANDIAL

Instruções: Comer 1 pão com ovo e esperar 40 min e realizar a coleta.


Informações técnicas:
A dosagem destes hormônios descritos abaixo é frequentemente utilizada para pacientes em tratamento de perda de peso, cirurgia bariátrica e/ou uso de outros recursos mecânicos para estímulo de saciedade e restrição calórica, a fim de auxiliar no tratamento.
a) A Grelina, também conhecida como o "hormônio da fome", é um hormônio peptídeo produzido principalmente pelas células épsilon do estômago e do pâncreas, quando o estômago está vazio, e atuam no hipotálamo lateral e no núcleo arqueado, gerando a sensação de fome.
b) Gastrina é um hormônio peptídeo de cadeia linear,, com 17 aminoácidos liberados por células endócrinas do trato gastrointestinal, que estimula a secreção de ácido clorídrico (parte do suco gástrico) e também a motilidade do estômago.

TIPO SANGUÍNEO + FATOR RH

Instruções: Jejum não obrigatório.

H. PYLORI - HELICOBACTER PYLORI IGG ANTICORPOS

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas, ou a critério médico.

H. PYLORI - HELICOBACTER PYLORI IGM ANTICORPOS

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas, ou a critério médico.

H1N1, PESQUISA

Instruções: Amostra nasal coletada com swap estéril.

HAPTOGLOBULINA, DOSAGEM

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas.

HBV (CARGA VIRAL), QUANTITATIVO POR PCR

Instruções: Jejum não obrigatório.

HCV, PESQUISA QUALITATIVA POR PCR

Instruções: Jejum não obrigatório.

HCV (CARGA VIRAL), QUANTITATIVO POR PCR

Instruções: Jejum não obrigatório.


Informações técnicas: O exame HCV por PCR Quantitativo em tempo real é uma ferramenta diagnóstica que oferece maior sensibilidade e especificidade frente aos testes sorológicos, para diagnóstico da Hepatite C. Este teste pode ser utilizado, também, para acompanhamento médico da progressão da doença e do monitoramento terapêutico, através da quantificação de cópias ainda presentes do vírus no organismo.

HEINZ , CORPÚSCULOS

Instruções: Jejum não obrigatório.

HEMÁCIAS

Instruções: Jejum não obrigatório.

HEMATÓCRITO

Instruções: Jejum não obrigatório.

HEMOCULTURA AUTOMATIZADA

Instruções: Jejum não obrigatório.

HEMOCULTURA PARA FUNGOS

Instruções: Jejum não obrigatório.

HEMOCULTURA PARA MICOBACTÉRIAS

Instruções: Jejum não obrigatório.

HEMOGLOBINA A2

Instruções: Jejum não obrigatório.

HEMOGLOBINA GLICADA

Instruções: Jejum não obrigatório.

HEMOGLOBINA S

Instruções: Jejum não obrigatório.

HEMOGRAMA COMPLETO

Instruções: Jejum não obrigatório.

HEMOSSIDERINÚRIA

Instruções: Jejum não obrigatório.

HEPATITE A - HAV IGM ANTICORPOS

Instruções: Jejum não obrigatório.

HEPATITE A - HAV IGG ANTICORPOS

Instruções: Jejum não obrigatório.

HEPATITE B ANTI-HBS, PESQUISA

Instruções: Jejum não obrigatório.

HEPATITE B - HBC TOTAL ANTICORPOS

Instruções: Jejum não obrigatório.

HEPATITE B ANTI-HBC IGG ANTICORPOS (ANTI-CORE)

Instruções: Jejum não obrigatório.

HEPATITE B ANTI-HBC IGM ANTICORPOS (ANTI-CORE)

Instruções: Jejum não obrigatório.

HEPATITE B HBE ANTÍGENO

Instruções: Jejum não obrigatório.

HEPATITE B HBSAG (ANTÍGENO AUSTRÁLIA), PESQUISA

Instruções: Jejum não obrigatório.

HEPATITE B HBE ANTICORPOS

Instruções: Jejum não obrigatório.

HEPATITE C HCV ANTICORPOS

Instruções: Jejum não obrigatório.

HEPATITE D IGM ANTICORPOS

Instruções: Jejum não obrigatório.

HEPATITE E IGM ANTICORPOS

Instruções: Jejum não obrigatório.

HEPATOGRAMA

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas.

HEPCIDINA

Instruções: Jejum não obrigatório.

HERPES SIMPLES I E II IGM ANTICORPOS, PESQUISA

Instruções: Jejum não obrigatório.

HERPES SIMPLES I E II IGG ANTICORPOS, PESQUISA

Instruções: Jejum não obrigatório.

HERPES SIMPLES I E II IGG, PESQUISA MOLECULAR POR PCR

Instruções: Amostra coletada em frasco estéril

HERPES ZOSTER/VARICELA ZOSTER IGM ANTICORPOS

Instruções: Jejum não obrigatório.

HERPES ZOSTER/VARICELA ZOSTER IGG ANTICORPOS

Instruções: Jejum não obrigatório.

HGH - HORMÔNIO DE CRESCIMENTO

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas.

HIBRIDAÇÃO GENES FISH

Instruções: Jejum não obrigatório.

HISTAMINA

Instruções: Jejum não obrigatório.

HISTOPATOLÓGICO

Instruções: Amostra coletada pelo médico e entregue ao laboratório.

HISTOPLASMA ANTICORPOS, PESQUISA POR IMUNOFIXAÇÃO

Instruções: Jejum não obrigatório.

HISTOPLASMA ANTICORPOS, FIXAÇÃO DO COMPLEMENTO

Instruções: Jejum não obrigatório.

HISTOPLASMA ANTÍGENO (URINA)

Instruções: Após realizar a assepsia, desprezar o primeiro jato de urina e coletar apenas o segundo. Utilizar frasco fornecido pelo laboratório.

HIV ANTICORPOS

Instruções: Jejum não obrigatório.

CARGA HIV CARGA VIRAL, QUANTITATIVO POR PCR

Instruções: Jejum não obrigatório.


Informações técnicas: a pesquisa e quantificação do vírus HIV, por PCR Quantitativo em Tempo Real, proporciona uma análise com maior sensibilidade, possibilitando reduzir os casos de falso negativos ou falso positivos. Este exame possibilita, ainda, o estudo da resistência do organismo aos principais antirretrovirais utilizados para o tratamento desta patologia, e um melhor acompanhamento médico da progressão do caso.

HIV-I ANTICORPOS, WESTERN BLOT

Instruções: Jejum não obrigatório.

HLA DQ2 e DQ8

Instruções: Jejum não obrigatório.

HLA-B27, GENOTIPAGEM

Instruções: Jejum não obrigatório.

HOMOCISTEÍNA, DOSAGEM

Instruções: Recomendado jejum de 12 horas.

HORMÔNIO ANTIMULLERIANO

Instruções: Jejum não obrigatório.

HPV, PESQUISA MOLECULAR

Instruções: Entregar já coletado pelo médico assistente. - Raspado de lesões ou raspado de região considerada suspeita: colo uterino, vagina, vulva, região perineal, perianal, anal, pênis, glande, prepúcio, bolsa escrotal, cavidade oral, pele, biópsia (colo uterino, vulva, pênis, ânus etc.)


Informações técnicas: O teste de HPV detecção e genotipagem de alto risco é indicado para pacientes que tiveram o seu preventivo alterado ou alguma outra indicação clínica específica. Este estudo possibilita a detecção de mais de 10 genótipos de risco, e genotipagem dos subtipos 16 e 18, de risco mais comuns.

HPV16, SOROLOGIA

Instruções: Jejum não obrigatório.

HTLV I E II, ANTICORPOS

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGA - IMUNOGLOBULINA A, DOSAGEM

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGD - IMUNOGLOBULINA D

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE - IMUNOGLOBULINA E

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA CASEÍNA (F78)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA CASTANHA DE CAJU F202

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA CLARA DE OVO (F1)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ANTICORPOS - MÚLTIPLO (EX1): CASPA E EPITÉLIO DE GATO (E1); CASPA DE CAVALO (E3); CASPA DE VACA (E4) E CASPA DE CÃO (E5).

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO ASPERGILLUS FLAVUS

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO ASPERGILLUS NIGER

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA LAGOSTA (F304)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA PEIXE-GALO (F311)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGEPERME IGE ESPECÍFICO PARA MERLUZA (RF307)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ANTICORPOS IMUNOGLOBULINA IGE ESPECÍFICOS - F23 CARANGUEJO/SIRI

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ANTICORPOS IMUNOGLOBULINA IGE ESPECÍFICOS - (c284) PROCAÍNA (NOVOCAÍNA)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ANTICORPOS IMUNOGLOBULINA IGE ESPECÍFICOS - f320 LAGOSTIM

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ANTICORPOS IMUNOGLOBULINA IGE ESPECÍFICOS - f37 MEXILHÃO AZUL

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO CYNODON DACTYLON OU GRAMA DAS BERMUDAS

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO BARATA DOMÉSTICA

Instruções: Jejum não obrigatório.

HISTAMINA

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO - C6 - AMOXICILINA

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO - C717 - AMARELO TARTRAZINA

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO - CARNE DE FRANGO

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO - CARNE DE VACA

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO - D73 - GLYCYPHAGUS DOMESTICUS

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO - E3 - PELO DE CAVALO

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO - F10 - GERGELIM

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO - F17 - AVELÃ

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO - F25 - TOMATE

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO - F261 - ASPARGO

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO - F300 - LEITE DE CABRA

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO - F416 - ÔMEGA 5 GLIADINA

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO - F75 - GEMA DE OVO

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO - FUNGOS (MX1)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO - H2 - PÓ CASEIRO

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO - I70 - FORMIGA

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO - I71 - MOSQUITO

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO - K82 - LÁTEX

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO - LACTOSE

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO - LIMÃO

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PENICILINA G

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PENICILINA V

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO - M6 - ALTERNARIA ALTERNATA

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO E1 PARA EPITÉLIO E CASPA DE GATO

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO F214 PARA ESPINAFRE

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO E77 PARA EXCREMENTO DE PERIQUITO

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO F340 PARA EXTRATO DE COCHONILHA

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO F15 PARA FEIJÃO BRANCO

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO F287 PARA FEIJÃO VERMELHO

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO MX2 PARA FUNGOS

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA GRÃO DE SOJA (F14)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA GLÚTEN (F79)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA KIWI (F84)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA LAGOSTA VERMELHA (F80)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA LARANJA (F33)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA LEITE (F2 - VACA)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA LULA DO PACÍFICO (F58)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA MAÇÃ (F49)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA MEL (F247)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA MORANGO (F44)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA NOZ NOGUEIRA AMERICANA (F201)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA NOZ DO BRASIL (F18)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA NOZES (F256)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO - RF270 - GENGIBRE

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO DERMATOPHAGOIDES MICROCERAS (D3)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO F6 PARA CEVADA

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO F36 PARA COCO

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO D2 PARA DERMATOPHAGOIDES FARINAE

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO C350 PARA DEXAMETASONA

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO E6 PARA EPITÉLIO DE COBAIA

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO DERMATOPHAGOIDES PTERONYSSINUS (D1)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO OVOMUCÓIDE

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO F96 PARA ABACATE

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO D70 PARA ACARUS SIRO

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO - MILHO

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO - POEIRA

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO F299 PARA CASTANHA

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO F206 PARA CAVALA

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO F48 PARA CEBOLA

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO F31 PARA CENOURA

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO F242 PARA CEREJA

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO C305 PARA ÁCIDO CLAVULÂNICO

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO F76 PARA ALFA LACTOALBUMINA

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA ALHO

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA AMÊNDOA

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO F13 PARA AMENDOIM

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO C6 PARA AMOXILINA

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA ANANÁS (ABACAXI)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA ASPERGILLUS FUMIGATUS

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA ASPIRINA

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO F40 PARA ATUM

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA AVEIA

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO F92 PARA BANANA

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA BARATA DE ESGOTO

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA BARATA ORIENTAL

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA BATATA

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO F77 PARA BETALACTOGLOBULINA

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO D201 PARA BLOMIA TROPICALIS

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO F93 PARA CACAU

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO F24 PARA CAMARÃO

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO F88 PARA CARNE DE CARNEIRO

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO F26 PARA CARNE DE PORCO

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO E5 PARA CASPA DE CÃO

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO E3 PARA CASPA DE CAVALO

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA OVO (F245)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA OVOALBUMINA (F232)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA PEIXE TILÁPIA (F414)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA BACALHAU (F3)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA PEIXE-ESPADA (F312)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA PENAS DE GALINHA (E85)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA PENAS DE PERIQUITO (E78)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA PENAS DE PERU (E89)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA PIMENTA NEGRA (F280)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA PIMENTA VERDE (F263)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA PREDNISONA (C254)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA QUEIJO TIPO CHEDDAR (F81)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA QUEIJO (F82)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA SALMÃO (F41)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA TRIGO (F4)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA UVA (F259)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PREDNISOLONA (C424)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO LOLIUM PERENNE - AZEVÉM

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO MÚLTIPLO (FX2)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO MÚLTIPLO PARA CEFALOSPORINAS (C201)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA ÁCIDO ACETILSALICÍLICO (AAS)

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA CANDIDA ALBICANS

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA PASPALUM NOTATUM

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA PENICILLIUM NOTATUM

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA PRINCIPAIS ALÉRGENOS DO LEITE [C312]

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGE ESPECÍFICO PARA POLVO

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGF-1 - SOMATOMEDINA, DOSAGEM SANGUE

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGF-2 - PROTEÍNA LIGADORA ASSOCIADA A GLICOSE/INSULINA

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGFBP-3 - PROTEÍNA LIGADORA-3 DO IGF, DOSAGEM

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGG - IMUNOGLOBULINA G, DOSAGEM

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGG - IMUNOGLOBULINA G, SUBTIPO 1

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGG - IMUNOGLOBULINA G, SUBTIPO 2

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGG - IMUNOGLOBULINA G, SUBTIPO 3

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGG - IMUNOGLOBULINA G, SUBTIPO 4

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGG SUBCLASSES 1 A 4

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGG CASEÍNA

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGG COCO

Instruções: Jejum não obrigatório.

IGM - IMUNOGLOBULINA M

Instruções: Jejum não obrigatório.

IMUNO-HISTOQUÍMICA

Instruções: O material deve ser coletado previamente. O Lach não realiza a coleta, somente a análise.

IMUNOELETROFORESE

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas.

IMUNOFENOTIPAGEM DE TROMBOPATIA (CD 41, CD 42A E CD 61)

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas. Coleta de segunda a quarta. Necessários agendamento e pedido médico.


Informações técnicas: O teste de imunofenotipagem é muito utilizado para fazer a diferenciação entre os tipos de leucemia. Este estudo consiste, segundo a metodologia da Citometria de Fluxo na busca e identificação de possíveis antígenos presentes em algumas estruturas celulares.

IMUNOFENOTIPAGEM HEMOGLOBINÚRIA PAROXÍSTICA NOTURNA

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas.

IMUNOPLA IMUNOFENOTIPAGEM PLAQUETÁRIA (TROMBOPATIA)

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas. Evitar alimentos gordurosos na véspera e no dia da coleta. Coleta de segunda a quarta. Necessários agendamento e pedido médico.

IMUNOFENOTIPAGEM, PAINEL PROLIFERATIVO

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas. Coleta de segunda a quarta. Necessários agendamento e pedido médico.

IMUNOFIXAÇÃO

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas.

ÍNDICE HOMA BETA IR

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas. - Em caso de crianças, seguir orientação médica.

INFLAMOGRAMA

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas. Necessário agendamento.

INFLAMOGRAMA INTESTINAL

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas. Necessário agendamento.

INFLAMOGRAMA SISTÊMICO

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas. Necessário agendamento.

INFLUENZA A e B, TESTE SOROLÓGICO

Instruções: Jejum não obrigatório.

INFLUENZA A,B E H1N1, PCR (DIAGNÓSTICO MOLECULAR NAS INFECÇÕES RESPIRATÓRIAS)

Instruções: Coleta em swap estéril, pela equipe do laboratório ou pelo médico.


Informações técnicas: a pesquisa se baseia na análise simultânea dos principais patógenos respiratórios. Para isso, conta com tecnologia de alta sensibilidade e precisão para designar ao paciente o melhor tratamento, a fim de evitar complicações em virtude do agravamento por tratamento incorreto ou demora na elucidação do caso. É indicada que a amostra respiratória (swab ou escarro) seja coletada nas primeiras 24 horas de sintoma.

INFLUENZA A, B E RSV, PCR

Instruções: Coleta em swap estéril, pela equipe do laboratório ou pelo médico.


Informações técnicas: A pesquisa se baseia na análise simultânea dos principais patógenos respiratórios. Para isso, conta com tecnologia de alta sensibilidade e precisão para designar ao paciente o melhor tratamento, a fim de evitar complicações em virtude do agravamento por tratamento incorreto ou demora na elucidação do caso. É indicada que a amostra respiratória (swab ou escarro) seja coletada nas primeiras 24 horas de sintoma.

INIBIDOR DE C1 ESTERASE (QUANTITATIVO)

Instruções: Jejum não obrigatório.

INIBIDOR DO FATOR V, PESQUISA

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas.

INIBIDOR DO FATOR VII, PESQUISA

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas.

INIBIDOR DO FATOR VIII, PESQUISA

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas.

INIBIDOR DO FATOR IX, PESQUISA

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas.

INIBIDOR DO FATOR XI, PESQUISA

Instruções: Recomendado jejum de 8 horas.

INSTABILIDADE DE MICROSSATÉLITES (MSI)

Instruções: Trazer material previamente coletado. Faremos também uma coleta sanguínea para complementação. Necessário agendamento.

INSULINA, DOSAGEM

Instruções: Recomendado jejum de 8 a 12 horas. - Em caso de crianças, seguir orientação médica.

INTERLEUCINA 10, DOSAGEM

Instruções: Jejum não obrigatório.

INTERLEUCINA 4

Instruções: Jejum não obrigatório.

INTERLEUCINA 6, DOSAGEM

Instruções: Jejum não obrigatório.

INTOLERÂNCIA A FRUTOSE (A149P, A174D, N334K - ALDOB), ESTUDO MOLECULAR POR PCR

Instruções: Jejum não obrigatório.

INTOLERÂNCIA A LACTOSE (13910 C/T), ESTUDO MOLECULAR POR PCR

Instruções: Jejum não obrigatório


Informações técnicas: Considerando que a prova funcional utilizada para diagnóstico produz grande desconforto abdominal, muitas vezes acompanhado de diarreias e gases, atrapalhando o paciente ao longo de todo o seu dia após a realização do teste em jejum pela manhã, o teste genético para o reconhecimento da intolerância a lactose constitui uma ferramenta mais eficiente para o diagnóstico, uma vez que, com apenas uma coleta sanguínea, é possível investigar com maior sensibilidade a probabilidade de um indivíduo ser ou não intolerante a lactose.

INTOLERÂNCIA ALIMENTAR - TESTE ALERGIA ALIMENTAR TARDIA - IGG

Instruções: Jejum não obrigatório.



Informações técnicas: O painel de intolerância alimentar permite analisar 59, 90 ou 220 alimentos e aditivos alimentares através de uma amostra de sangue, que pode ser coletada de forma convencional ou através de 1 gota de sangue capilar digital. A identificação de intolerância se dá através da dosagem da concentração da imunoglobulina IgG e de seus subtipos, que são produzidos pelo sistema imune, caso o organismo reconheça determinados alimentos como estranhos a ele, causando, principalmente, reações crônicas de longo prazo, como enxaquecas, dermatites, distúrbios gastrointestinais, etc.

INTOLERÂNCIA ALIMENTAR IGG ALIMENTAR A90

Instruções: Jejum não obrigatório


Informações técnicas: O painel de intolerância alimentar permite analisar 59, 90 ou 220 alimentos e aditivos alimentares através de uma amostra de sangue, que pode ser coletada de forma convencional ou através de 1 gota de sangue capilar digital. A identificação de intolerância se dá através da dosagem da concentração da imunoglobulina IgG e de seus subtipos, que são produzidos pelo sistema imune, caso o organismo reconheça determinados alimentos como estranhos a ele, causando, principalmente, reações crônicas de longo prazo, como enxaquecas, dermatites, distúrbios gastrointestinais, etc.

INTOLERÂNCIA AO GLÚTEN GENOTIPAGEM, ESTUDO MOLECULAR POR PCR

Instruções: Jejum não obrigatório.

INTOLERÂNCIA GENÉTICA A LACTOSE ESTUDO MOLECULAR POR PCR

Instruções: Jejum não obrigatório


Informações técnicas: Considerando que a prova funcional utilizada para diagnóstico produz grande desconforto abdominal, muitas vezes acompanhado com diarreias e gases, atrapalhando o paciente ao longo de todo o seu dia após a realização do teste em jejum pela manhã, o teste genético para o reconhecimento da intolerância

lactose constitui uma ferramenta mais eficiente para o diagnóstico, uma vez que, com apenas uma coleta sanguínea, é possível investigar com maior sensibilidade a probabilidade de um indivíduo ser ou não intolerante a lactose.

IODO SANGUÍNEO, DOSAGEM

Instruções: Jejum não obrigatório.


Informações técnicas: Segundo o Conselho Internacional para o Controle de Transtornos de Deficiência de Iodo, apenas 74% da população brasileira tem acesso às quantidades mínimas necessárias para evitar os males da deficiência. A suplementação incorreta com iodo pode ocasionar em transtornos metabólicos, assim como níveis insuficientes de iodo podem impedir que os hormônios tireoidianos sejam funcionais e ativos. Por este motivo, a importância do conhecimento dos níveis e de seu devido monitoramento.

IODO URINÁRIO, DOSAGEM

Instruções: Coletar toda urina, a partir da primeira da manhã, durante 24 horas; Não fazer esforço físico durante o período de coleta; Manter rotina diária normalmente; Não aumentar o consumo diário de líquidos, exceto sob orientação médica.


Informações técnicas: Segundo o Conselho Internacional para o Controle de Transtornos de Deficiência de Iodo, apenas 74% da população brasileira tem acesso às quantidades mínimas necessárias para evitar os males da deficiência. A suplementação incorreta com iodo pode ocasionar em transtornos metabólicos, assim como níveis insuficientes de iodo podem impedir que os hormônios tireoidianos sejam funcionais e ativos. Por este motivo, a importância do conhecimento dos níveis e de seu devido monitoramento.

ISOAGLUTININAS

Instruções: Jejum não obrigatório.

JAK2 V617F, ESTUDO MOLECULAR POR PCR

Instruções: Jejum não obrigatório.


EXAME: ESTRONEX COM RO

Instruções:
Preparação do paciente - Mulheres: Faça a coleta entre o décimo oitavo e o vigésimo quinto dia do ciclo menstrual, contando a partir do primeiro dia de menstruação.
- Para pacientes em menopausa não importa o dia da coleta.
- Não é recomendado fazer o exame durante a gravidez.
- Não é necessário suspender suplementos nutricionais, hormônios ou medicamentos caso estejam em uso.
Preparação do paciente - Homens:
- Não é necessário suspender suplementos nutricionais ou medicamentos caso estejam em uso na véspera
- Permanecer em jejum por pelo menos 8 horas devido à coleta de urina da manhã. Caso acorde de madrugada para urinar por hábito ou por uso de medicamentos, colha a urina após as 02 horas a.m., mesmo que não tenha estado com 8 horas de jejum. Congele o frasco até poder enviar ao laboratório.
- Não consumir nenhum tipo de bebida alcoólica durante as 24 horas que antecedem a coleta.
- Diminua o consumo de líquidos em geral para evitar diluição excessiva da urina, água, sopas, frutas com muito líquido (melão, melancia etc), sucos, iogurtes, refrigerantes etc. Nunca lave ou molhe o tubo.



Informações técnicas:
Com uma simples amostra de urina, o perfil Estronex avalia as seguintes proporções de metabólitos críticos de estrogênio: Relação 2:16 > 2-OHE1 para 16αOHE / Relação 2:2 > 2-OHE1 para 2-MeOE (2- Methoxyoestradiol). Estudos têm mostrado que a avaliação da relação destes metabólitos fornece importante indicação de risco para o desenvolvimento futuro de cânceres estrógenos dependentes. Os estudos demonstram, também, que este risco é modificável.

EXAME: EAS - ELEMENTOS ANORMAIS DO SEDIMENTO (URINA) (2 AMOSTRAS)

Instruções:
Utilizar frasco estéril.
- Retirar o frasco no laboratório ou comprar na farmácia. Manter as urinas em refrigeração até a chegada no laboratório. Utilizar 2 frascos, coletando os jatos solicitados pelo médico. Realizar a assepsia com sabonete neutro e agua antes de iniciar. Secar com uma toalha limpa. Iniciando a coleta:
-> Primeiro jato de urina - São os 3 segundos iniciais da micção. (preencher aproximadamente 1/4 do frasco).
-> Jato médio de urina - começa imediatamente após o primeiro. (preencher aproximadamente metade do frasco).
-> Jato final de urina - Este jato final.precisa ser capturado qdo perceber que a urina irá terminar. Não podendo desprezar mais nada no vaso neste instante. (preencher aproximadamente 1/4 do frasco)
- Preferencialmente pela manhã, ao acordar, realizar a assepsia do local com sabonete neutro.
- No dia anterior evitar a ingestão excessiva de líquidos para não diluir a urina.


EXAME: EAS - ELEMENTOS ANORMAIS DO SEDIMENTO (URINA) (3 AMOSTRAS)

Instruções:

Utilizar frasco estéril.
- Retirar o frasco no laboratório ou comprar na farmácia. Manter as urinas em refrigeração até a chegada no laboratório.
Utilizar 3 frascos.
Realizar a assepsia com sabonete neutro e agua antes de iniciar. Secar com uma toalha limpa. Iniciando a coleta:
1 frasco = 1 jato de urina - São os 3 segundos iniciais da micção. (preencher aproximadamente 1/4 do frasco).
2 frasco = jato médio de urina - começar este frasco imediatamente após o primeiro frasco. (preencher aproximadamente metade do frasco).
Continuar a urinar no vaso sanitário. Quando sentir que está terminando, iniciar a coleta do terceiro frasco.
3 frasco = jato final de urina - Este jato final.precisa ser capturado quando perceber que a urina irá terminar. não podendo desprezar mais nada no vaso neste instante. (preencher aproximadamente 1/4 do frasco)
- Preferencialmente pela manhã, ao acordar, realizar a assepsia do local com sabonete neutro.
- No Dia anterior evitar a ingestão excessiva de líquidos para não diluir a urina.

EXAME: FIBROMAX

Instruções:
Recomendado jejum de 12 horas.

Informar peso e altura ao(a) coletor(a).



Informações técnicas:
composto pelos testes ASH TEST, NASHTEST, FIBROTEST, ACTITEST e STEATOTEST, conforme descritos abaixo, este perfil fornece uma análise hepática rica e não invasiva, proporcionando a possibilidade de diagnóstico precoce e prevenção de prognósticos patológicos.
O AshTest consiste em um procedimento mais rápido para a conclusão de casos de Esteato-Hepatite Aguda (ASH), e oferece uma importante ferramenta para o desenvolvimento de terapias para tratar a doença, de forma a buscar a melhoria do caso e alternativas ao transplante hepático, medida extrema em alguns quadros.
O NashTest avalia a presença ou ausência de Esteatose Hepática Não Alcoólica e, quando combinado com a realização do FibroTest, é capaz de demonstrar o valor da triagem de Nash em pacientes com fatores de risco metabólico.
FibroTest é um exame altamente recomendado pelas autoridades de saúde ao redor do mundo. O teste tem como princípio medir os níveis de fibrose hepática e de cirrose, além de ser o único estudo capaz de classificar os estágios iniciais da fibrose.
A partir do ActiTest, unido à realização do FibroTest, é possível a identificação de portadores assintomáticos de hepatite B e a detecção de tratamentos de maior eficácia, além de ser essencial para avaliar a progressão desta doença.
O SteatoTest mede o nível de esteatose no organismo, que consiste no aumento do acúmulo de gordura no fígado. O teste é direcionado, principalmente, para pacientes que possuem alto risco metabólico, consumidores de álcool em excesso ou portadores crônicos de hepatite B ou C. Com esse exame quantitativo de esteatose, é possível monitorar pacientes, de forma a acompanhar a progressão ou regressão do caso, oferecendo ao profissional que os atende uma ferramenta para desenvolver tratamentos que irão viabilizar a normalização dessa condição.

IGF 1 SALIVAR

Instruções:
No kit consta 1 tubo cônico (para um só horário de coleta) e um questionário, que deve ser respondido corretamente.

Procedimento de Coleta
1. Para a coleta, é importante que as mãos estejam limpas, e que esteja sem se alimentar e sem escovar os dentes por, pelo menos, 1 hora;
2. Não ingira álcool nas 24 horas anteriores à coleta, bem como no dia na coleta;
3. Para a coleta, não faça uso de medicamentos ou hormônios, seja por via oral ou por aplicação na pele. Após a coleta, todos os medicamentos e hormônios poderão ser utilizados;
4. Anote, no espaço correspondente, o horário exato da utilização dos hormônios e medicamentos discriminados no formulário;
5. Anote, no espaço correspondente, os horários em que dorme e acorda. Caso não haja rotina, anote os horários em que dormiu no dia anterior ao da coleta e o horário em que acordou no dia da coleta;
6. Anote, no espaço correspondente, os horários dos seus banhos. Caso não haja rotina, anote os horários dos banhos do dia da coleta;
7. O horário de coleta, designado pelo médico, deve ser respeitado, para que não haja comprometimento dos resultados.

Procedimentos para a coleta
1- Enxague a boca com água 15 minutos antes de realizar a coleta;
2- Abra o kit de coleta e pegue o tubo cônico;
3- Acumule boa quantidade de saliva em sua boca. A saliva deve vir somente da boca. Não force a saída de nenhuma secreção da garganta;
4- Abra o tubo e despreze a saliva dentro dele, até atingir a marca de 5 ml;
5- Verifique se o volume de saliva atingiu a marca de 5 ml. Caso contrário, repita o procedimento;
6- Tampe bem o tubo e anote a data e a hora da coleta no quadrante branco localizado no próprio tubo. Certifique-se de que anotou corretamente a data e o horário da coleta, pois são dados imprescindíveis à boa execução do teste;
7- Coloque o tubo no congelador, até o momento da retirada pelo portador. Caso a coletora esteja realizando o procedimento com você, basta entregar o tubo a ela;
8- Após congelado, o tubo não deve perder temperatura, portanto, não o retire do congelador. Caso precise transportá-lo, mantenha-o em uma bolsa térmica com gelo;
9- O portador deverá retirar, no horário preestabelecido, o tubo cônico e o formulário, devidamente preenchido.


Informações técnicas: Por que fazer exames na saliva? Cerca de 95% dos hormônios circulam no organismo ligados às proteínas carreadoras e, de 1% a 5% circulam da forma livre e representam a “fração biologicamente ativa”;
É a forma livre destes hormônios a responsável pela manutenção e equilíbrio das funções endócrinas. Assim, a análise salivaré a melhor forma de avaliar os níveis de hormônios em pacientes que necessitam de tratamento hormonal. Indicações Clínicas para a realização do teste: Insônia; Sonolência; Diminuição e/ou perda de massa muscular; Diminuição e/ou perda de massa óssea; incontinência urinária; perda involuntária de urina; Fadiga; Cansaço excessivo; Falta de energia; Dores musculares e nas articulações; Imunidade diminuída; Resfriados constantes; Déficit cognitivo; Problemas de memória recente e espacial; Ansiedade; Depressão; Estresse; Baixa na libido; Dificuldades sexuais; Alergias; Intolerâncias alimentares.

EXAME: IGF 1 CURVA SALIVAR

Instruções:
No kit consta 1 tubo cônico (para um só horário de coleta) e um questionário, que deve ser respondido corretamente.

Procedimento de Coleta
1. Para a coleta, é importante que as mãos estejam limpas, e que esteja sem se alimentar e sem escovar os dentes por, pelo menos, 1 hora;
2. Não ingira álcool nas 24 horas anteriores à coleta, bem como no dia na coleta;
3. Para a coleta, não faça uso de medicamentos ou hormônios, seja por via oral ou por aplicação na pele. Após a coleta, todos os medicamentos e hormônios poderão ser utilizados;
4. Anote, no espaço correspondente, o horário exato da utilização dos hormônios e medicamentos discriminados no formulário;
5. Anote, no espaço correspondente, os horários em que dorme e acorda. Caso não haja rotina, anote os horários em que dormiu no dia anterior ao da coleta e o horário em que acordou no dia da coleta;
6. Anote, no espaço correspondente, os horários dos seus banhos. Caso não haja rotina, anote os horários dos banhos do dia da coleta;
7. O horário de coleta, designado pelo médico, deve ser respeitado, para que não haja comprometimento dos resultados.

Procedimentos para a coleta
1- Enxague a boca com água 15 minutos antes de realizar a coleta;
2- Abra o kit de coleta e pegue o tubo cônico;
3- Acumule boa quantidade de saliva em sua boca. A saliva deve vir somente da boca. Não force a saída de nenhuma secreção da garganta;
4- Abra o tubo e despreze a saliva dentro dele, até atingir a marca de 5 ml;
5- Verifique se o volume de saliva atingiu a marca de 5 ml. Caso contrário, repita o procedimento;
6- Tampe bem o tubo e anote a data e a hora da coleta no quadrante branco localizado no próprio tubo. Certifique-se de que anotou corretamente a data e o horário da coleta, pois são dados imprescindíveis à boa execução do teste;
7- Coloque o tubo no congelador, até o momento da retirada pelo portador. Caso a coletora esteja realizando o procedimento com você, basta entregar o tubo a ela;
8- Após congelado, o tubo não deve perder temperatura, portanto, não o retire do congelador. Caso precise transportá-lo, mantenha-o em uma bolsa térmica com gelo;
9- O portador deverá retirar, no horário preestabelecido, o tubo cônico e o formulário, devidamente preenchido.


Informações técnicas: Por que fazer exames na saliva? Cerca de 95% dos hormônios circulam no organismo ligados às proteínas carreadoras e, de 1% a 5% circulam da forma livre e representam a “fração biologicamente ativa”;
É a forma livre destes hormônios a responsável pela manutenção e equilíbrio das funções endócrinas. Assim, a análise salivaré a melhor forma de avaliar os níveis de hormônios em pacientes que necessitam de tratamento hormonal. Indicações Clínicas para a realização do teste: Insônia; Sonolência; Diminuição e/ou perda de massa muscular; Diminuição e/ou perda de massa óssea; incontinência urinária; perda involuntária de urina; Fadiga; Cansaço excessivo; Falta de energia; Dores musculares e nas articulações; Imunidade diminuída; Resfriados constantes; Déficit cognitivo; Problemas de memória recente e espacial; Ansiedade; Depressão; Estresse; Baixa na libido; Dificuldades sexuais; Alergias; Intolerâncias alimentares.

EXAME: IGA SALIVAR, DOSAGEM

Instruções:

Não coletar logo após alimentação.
- Saliva in natura: Coletar 1,0 ml de saliva por aspiração, usando uma seringa descartável (sem agulha) nos casos de crianças ou pacientes incapacitados, ou simplesmente solicitar ao paciente que deixe acumular saliva, eliminando-a no frasco de coleta.
- O uso de 1 ou 2 gotas de limão estimula a salivação, facilitando a obtenção da amostra.
- Coletar a saliva em tubo próprio.

Importante:
- 1. Por um período de 30 minutos antes da coleta, não será permitido qualquer tipo de alimentação ou bebida.
- 2. Imediatamente antes da coleta é aconselhável lavar a boca com água através de bochechos leves.
- 3. A coleta não é recomendável em caso de lesões orais com sangramento ativo ou potencial.
- 4. Evitar escovar os dentes pelo menos 2 horas antes da coleta, para evitar sangramento gengival.
- 5. Remova a tampa superior do tubo.
- 6. Se a amostra for coletada com auxílio de algodão, coloque o algodão, debaixo da língua e aguarde um período médio de 2 a 3 minutos, de forma a encharcar o algodão. Se preferir, pode mastigar levemente o algodão, mantendo-o o máximo possível embebido com saliva. Durante esse período de coleta não é permitido ingestão de água, alimento ou qualquer tipo de líquido. A amostra em quantidade satisfatória deve encharcar o algodão com saliva. Retorne o algodão para o interior do recipiente suspenso, fechando com a tampa logo a seguir.
- 7. O tubo pode ser encaminhado imediatamente ao laboratório sem refrigeração. No entanto, em casos onde o transporte não será efetuado imediatamente, aconselha-se a refrigeração da amostra entre 2 a 8 °C. A amostra refrigerada poderá ser recebida no laboratório com até 48 horas após a coleta.


EXAME: IODO SALIVAR

Instruções:
Não coletar logo após alimentação.
- Saliva in natura: Coletar 1,0 ml de saliva por aspiração, usando uma seringa descartável (sem agulha) nos casos de crianças ou pacientes incapacitados, ou simplesmente solicitar ao paciente que deixe a boca acumular saliva, eliminando-a no frasco de coleta.
- O uso de 1 ou 2 gotas de limão estimula a salivação, facilitando a obtenção da amostra.
- Coletar a saliva em tubo próprio. Importante:
- 1. Por um período de 30 minutos antes da coleta não será permitido qualquer tipo de alimentação ou bebida.
- 2. Imediatamente antes da coleta e aconselhável lavar a boca com água através de bochechos leves.
- 3. A coleta não é recomendada em caso de lesões orais com sangramento ativo ou potencial.
- 4. Evitar escovar os dentes pelo menos duas horas antes da coleta, para evitar sangramento gengival.
- 5. Remova a tampa superior do tubo.
- 6. Se a amostra for coletada com auxílio de algodão, coloque o algodão, debaixo da língua e aguarde um período médio de 2 a 3 minutos de forma a encharcar o algodão. Se preferir, pode mastigar levemente o algodão, mantendo-o o máximo possível embebido com saliva. Durante esse período de coleta não é permitido ingestão de água, alimento ou qualquer tipo de líquido. A amostra em quantidade satisfatória deve encharcar o algodão com saliva. Retorne o algodão para o interior do recipiente suspenso, fechando com a tampa logo a seguir.
- 7. O tubo pode ser encaminhado imediatamente ao laboratório sem refrigeração. No entanto, em casos onde o transporte não será efetuado imediatamente, aconselha-se a refrigeração da amostra entre 2 a 8 °C. A amostra refrigerada poderá ser recebida no laboratório com até 48 horas da coleta.


Informações técnicas:
Segundo o Conselho Internacional para o Controle de Transtornos de Deficiência de Iodo, apenas 74% da população brasileira tem acesso às quantidades mínimas necessárias para evitar os males da deficiência. A suplementação incorreta com iodo pode ocasionar em transtornos metabólicos, assim como níveis insuficientes de iodo podem impedir que os hormônios tireoidianos sejam funcionais e ativos. Por este motivo, a importância do conhecimento dos níveis e de seu devido monitoramento.